isco preto sem fundo.png

Bem vindo ao Instituto Representativo dos Sacerdotes do Culto Omoloko de Uberlândia - MG

Tata Tancredo
da Silva Pinto

marco_omoloko.jpg

Tancredo da Silva Pinto, escritor, compositor, sambista e umbandista brasileiro, nasceu em 10 de agosto de 1905 no município de Cantagalo, então Estado da Guanabara. Ainda na adolescência veio para o município do Rio de Janeiro.
  Tancredo da Silva Pinto, Tata Ti Inkice, é considerado o organizador do culto Omoloko no Brasil e o responsável direto pela reunião dos adeptos dos cultos afro-brasileiros em Federações Umbandistas para defender o seu direito de ter e cultuar uma religião afro-brasileira. 

 Foi chamado, muitas vezes, de o “Papa Negro da Umbanda”. Tancredo, apesar de ter ficado famoso pelo grau sacerdotal “Tata” (pai), utilizado nos Candomblés Angola para designar o Sacerdote, Tancredo da Silva Pinto, na hierarquia da Umbanda Omolokô, era tratado por Babalaô (do Yorùbá, Babaláwo).
    Em 1950, devido a grandes perseguições aos umbandistas nos mais diversos Estados da União, assim como no antigo Distrito Federal, fundou a Federação Espírita de Umbanda, com a qual rompe em 1952. Viajou por quase todo o país, fundando filiais da Federação com o objetivo de organizar e dar personalidade à Umbanda. Fundou as Federações dos seguintes Estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Pernambuco e outros. Criou, para melhor mostrar seu culto de Umbanda ao povo em geral, as seguintes Festas Religiosas: Festa de Yemanjá, no Rio de Janeiro; Yaloxá, na Pampulha – Belo Horizonte; Cruzambê, em Betim – BH, Minas Gerais; Festa de Preto Velho, em Inhoaíba – Rio de Janeiro; Festa de Xangô, em Pernambuco; “Você sabe o que é Umbanda” no Estádio do Maracanã, RJ, e finalmente a Festa da Fusão, realizada no centro da Ponte Rio-Niterói.

 

Alguns livros publicados por Tata Nkisi Tancredo da Silva Pinto:

 

  • Cabala Umbandista: 1971, Editora Espiritualista
  • Umbanda Guia e Ritual para Organização de Terreiros: 1972, Editora Eco
  • Doutrina e Ritual de Umbanda: 1958, Editora Espiritualista;
  • As Mirongas de Umbanda: 1957, Gráfica Editora Aurora;
  • O Ero da Umbanda: 1968, Editora Eco
  • Camba de Umbanda: Gráfica Editora Aurora;
  • Yao: 1975, Editora Espiritualista;
  • Negro e branco na cultura religiosa afro-brasileira, os egbás: umbanda, cabala e magia: 1976, Grafica e Editora Aurora.
  • Tecnologia Ocultista da Umbanda no Brasil: 1972, Editora Espiritualista
  • A volta dos Orixás: Editora Espiritualista;
  • Primado de Umbanda: Editora Espiritualista;